quarta-feira, 2 de março de 2011

Carnaval(o que se esconde por de tráz desta máscara)



O que nos faz pensar que na época de Carnaval,tudo pode,tudo é permitido?
Será que as leis ficam mais brandas,que as doenças dão um descanso e ficamos imunes a elas,enfim é melhor acreditar que tudo pode do que imaginar que algumas coisas são proibidas,é assim que a grande maioria pensa e age no Carnaval,mesmo pagando um enorme preço mais tarde.Não sou contrario de que as pessoas se divirtam,mais o que acontece é uma confusão de excesso de alegria com irresponsabilidade,causando grande quantidades de acidentes e gastos pelos serviços de saúde.O Carnaval é uma festa pagã,onde-se a primeira coisa que vem a cabeça dos jovens é liberdade sexual,sem limites,o que vale é beijo na boca,quanto mais em uma só noite melhor,mais o que me deixa decepcionado é com os pais e o governo que acham que com uma simples propaganda sobre o uso de preservativo pode prevenir a transmissão de doenças e o número de gravides precoce e acidentes nessa época.Não seria o caso de ser baixado portarias para faixas etárias permanecerem nas ruas ,solicitando aos conselhos tutelares e policias civis e militares para que fizessem patrulhamento ostencivos para coibir a permanência de menores nas vias públicas e clubes de uma determinada hora em diante,não que isso não tivesse que ser vistoriado o ano todo mais  dar ênfase nesta época do ano,seria de grande importância,já que os verdadeiros responsáveis e os grandes prejudicados são os pais que não colocam limites em seus filhos,faltam com o diálogo e deixam seus filhos e filhas saírem sem terem hora para voltar,alguns acordando com a noticia que seu filho está em algum pronto socorro pela cidade,ou pior ainda acordam alguns meses  depois com o pesadelo de ver sua filha gravida ,ou pior saber que seu filho ou filha esta infectado com alguma doença,como sífilis ou aids.Mais de que adiantará acusar ou se defender depois,se o que precisa ser feito para que isto não ocorra é tomar atitude hoje,dialogo ainda é o remédio mais barato e é de graça,não dói pois não é preciso de agulha para injectar,e ainda alem de não deixar adoecer tem a capacidade de salvar vidas.

Um comentário:

guímel disse...

Caro Elias!

Fiquei atônita neste carnaval com o comportamento desvairado dos jovens, ambos meninos(as), completamente alucinados com a tal "festa", fazendo de tudo (sexo, drogas, bebidas, etc) e, acham que é curtição! Isso na rua em frente de todos. Os pais que eram chamados para acudir e quando viam os seus filhos em estado deplorável, a decepção era estampada no rosto...
Sim, é a base familiar e um diálogo inteligente que talvez, não recupera totalmente, mas concientizam de que, os valores não são esses.
Excelente texto!

Bjs