quarta-feira, 16 de março de 2011

Quem segurará na minha mão amanhã


Uma pergunta tão simples mais não se damos conta de como seria triste não termos uma mão para segurar amanhã. Nascemos e logo fomos amparados nos braços de nossos pais,quando demos nossos primeiros passos lá estavam eles estendendo as mãos para nos transmitirem confiança,daí então sempre nos sentimos seguros quando estamos de mãos dadas com alguém, mais jamais acharemos tanta confiança e proteção como nas mãos de nossos pais, sejam eles de sangue ou de coração, pois de mãos dadas com eles não interessa o tamanho do obstáculo que não possa ser transponivel. Para tanto que só conseguimos ter a verdadeira noção da complexidade da vida quando nos afastamos daquelas mãos, mesmo que por algumas horas. Mais se tornamos adolescentes e queremos experimentar o calor de outras mãos, e assim de mãos em mãos saímos a procura de alguém que nos passe a mesma segurança, o mesmo amor, a mesma atenção, o mesmo calor, e o que acabamos encontrando é alguém que procura a mesma coisa que nós, uma mão, mais jamais nem eu nem a pessoa que escolhi para seguir comigo substituirá aquelas mãos de meus pais, porem aquele sentimento que outrora tive com meus eles só conseguirei sentir quando pegar nas mão de meu filho,pois estarei passando para ele tudo aquilo que absorvi de meus pais,proteção,confiança e aconchego,mais e eu se sentir medo e insegurança,quem segurará na minha mão amanhã,se hoje que tenho tempo não estou segurando na mão de quem me ama,se quem eu digo que  amo esta esquecida em um canto,com as mãos enrugadas pelo tempo e já não tem a mesma firmeza de ontem,mais precisa mais do que nunca da segurança de nossas mãos pelo pouco tempo que ainda possa existir.

2 comentários:

guímel disse...

Caro Elias!

Precisamos tão pouco e buscamos tanto! O aperto de mão, não é, dar as mãos... ele é muito mais! Ele transfere a energia armazenada na nossa memória, que aprendemos com a nossa mãe à reconhecer os sentimentos.
Saibamos reconhecer essa mão, pois a Vida tem duas vias e, amanhã seremos nós a procura de uma mão!
Lindo texto para refletirmos.

Bjsss

SELIA disse...

Amei este texto e veio na minha memória o tempo quando minha filha segurava na minha mão, até aos 11 anos só andava assim. Quando era pequena dormia segurando a minha mão.
Hoje distante, longe em País estranho, será que terá ou tem uma mão para segurar, ou receber o afago e carinho?
Obrigada por visitar meu blog e deixar mensagem.